COMO SE MANTER OCUPADO DEPOIS DA APOSENTADORIA?

09

Você já fez tudo na vida: passou os anos todos levantando da cama e se arrumando para trabalhar, cuidou da família e economizou para ter uma aposentadoria longa e reconfortante. Porém, o que faz exatamente para preencher o tão merecido tempo livre? O tédio e a depressão são as reações mais comuns das pessoas que se aposentam, pois pensam que tem tanto tempo disponível, mas quase nada para fazer.

Dê um basta no desânimo e procure atividades recreativas ou faça trabalhos voluntários para preencher o tempo! Viva a vida!

Escreva suas memórias.

Você pode escrevê-las em cartas para mandar aos familiares vivos ou registrá-las em um diário todos os dias. Recordar as experiências e as aventuras do passado permitirão a você compartilhar esses momentos com quem ama e retransmitir lições de vida para os outros.

Comece a registrar as memórias em um diário ou em cartas destinadas a um membro específico da família, como um filho ou neto. Tente escrever um pouquinho cada dia para criar o hábito de escrever os pensamentos e as memórias.

Você também pode participar de aulas de registro de memórias em grupo de idosos ou em uma universidade. Existem universidades com aulas gratuitas ou com descontos para os mais velhos.

Ponha em dia a lista de leituras.

Talvez você ainda tenha uma lista de livros que está para ler faz há um bom tempo e a reservou para quando tivesse o bendito do tempo livre. Vá até a biblioteca e comece a ler essas obras, seja uma lista pessoal de livros ou uma de clássicos ocidentais, suspense e mistério, não-ficção, ou ainda de ficção científica.

Você também pode escolher um gênero ou tema específico que o interesse e ler o máximo possível sobre o assunto. Exemplo: histórias ficcionais da Segunda Guerra Mundial ou livros sobre trabalhos com madeira.

Atualmente, com a internet, está muito mais fácil adquirir livros. Vá no Google e digite o título do livro ou o nome do autor, pesquise nas lojas, veja os preços e faça o pedido para o livro chegar no conforto da sua casa.

Os áudio-livros também são uma boa opção se quiser descansar os olhos e ouvir a um bom livro lido por um ator profissional ou um dublador.

Aprenda um novo idioma.

Exercitar o cérebro aprendendo um novo idioma vai manter as suas faculdades mentais ativas e lúcidas.

Quando estiver procurando por um motivo para sair de casa, matricule-se em um curso de idiomas onde possa interagir pessoalmente e praticar as lições para melhorar a habilidades de conversação.

Faça exercícios físicos durante a semana.

Permanecer ativo é outra forma interessante de manter-se ocupado com a chegada da aposentadoria. Atividades físicas como jogar tênis, golfe, nadar ou correr, feitas uma vez por semana, podem mantê-lo saudável e despreocupado. Caso queira encontrar outras pessoas ou socializar, faça atividades ou pratique esportes em grupo.

Procure por escolas que contêm aulas para pessoas mais velhas ou idosos. Matricule-se em uma turma específica para sêniores, onde possa conhecer outras pessoas e socializar.

Também se pode participar de aulas de tênis ou natação. Elas vão ajudá-lo a conhecer outras pessoas que talvez se interessem pelas mesmas atividades que você.

Entre para um clube.

Procure por clubes que atraiam a sua atenção ou tenham a ver com os hobbies que pratica, como os clubes de baralho, um clube recreativo, um clube de futebol ou um grupo religioso. Procure na internet por uma relação de clubes locais ou informativos nos centros comunitários.

Faça um curso e aprenda um novo hobby.

Foque-se em uma atividade que gostaria de melhorar, como aprender a fazer padrões mais difíceis no crochê ou fazer artesanatos de madeira mais difíceis. Procure também por cursos nos centros comunitários da sua região ou na universidade, onde seja possível aprender uma coisa completamente nova e usar o tempo livre para explorar uma atividade que sempre quis tentar.

Muitas universidades têm programas de longa duração para idosos cujas mensalidades são baixíssimas ou gratuitas para aulas em educação de adultos. Você também pode fazer novas amizades em um ambiente de aprendizagem.

Aprenda a cozinhar.

Caso nunca tenha tido coragem de meter a cara no fogão ou esteja procurando formas de aumentar o conhecimento culinário, adquira um livro de receitas e comece a preparar uma prato de cada vez.

O livro de receitas pode focar em um tipo específico de prato, como as receitas vegetarianas ou sem glúten, ou um livro com pratos regionais, como a comida italiana ou portuguesa. Você também pode comprar um livro consagrado de culinária, como o “Todas as Sextas” da Chef Paola Carosella, contendo 90 receitas que ela faz às sextas-feiras no restaurante dela.

Quando perceber que aprendeu bem a fazer um prato, cozinhe-o para os amigos ou para a família, ou faça uma festa onde todos trazem um quitute ou prato preferido.

Viaje de carro.

Tem um carro ou um trailer e gosta de viajar? Bom, faça um tour pela cidade ou região em que mora. Você pode também escolher um destino no mapa que fique perto da sua casa, andar pelas estradas observando as belas paisagens, os locais com vista para a natureza ou as construções modernas e históricas.

Viajar pode mostrar a você novas paisagens e pessoas, assim como preenche o tempo com novas experiências. Quando se tem um trailer, dá para fazer longas viagens com conforto e diversão.

Viaje para o exterior.

Talvez você tenha um parente em outro país que queira visitar ou sempre quis ver as esculturas de Michelangelo em Florença, as pirâmides no Egito, etc. Planeje uma viagem para ver as grandes maravilhas do mundo, sozinho, com um amigo ou um familiar.

Existem muitas ofertas de viagens na internet ou em agências de viagens, principalmente se tiver tempo para viajar nas férias ou durante uma época incomum para se viajar. Faça uma pesquisa na internet para ver os pacotes de viagens, os quais costumam incluir a passagem, as acomodações, assim como tours e atividades com guias turísticos.

Passe um tempo com a família.

Uma das melhores formas de se usar o tempo livre é passar um tempo na companhia de netos, filhos, irmãos, irmãs, etc. Caso seja próximo da sua família, marque alguns dias para brincar com os netos como forma de alegrar a semana. Participe de eventos culturais, como teatro ou balé, acampe ou viaje com eles.

Seja um mentor.

Inscreva-se para as vagas de mentor no centro comunitário do bairro, caso esteja trabalhando com crianças ou ensinando literatura, ou alguma outra matéria, para adultos. Procure por vagas de professor que se encaixem às suas habilidades individuais e permitam compartilhá-las com os outros.

Seja voluntário em alguma instituição.

Dê prioridade às instituições que gostaria de ajudar ou fazer parte. Ligue ou mande um e-mail para elas e diga o que gostaria de fazer para ajudar. Muitas instituições sem fins lucrativos e do governo constantemente procuram por voluntários para dedicar trabalhar em prol de uma causa específica e importante.

Pense na possibilidade de ingressar em uma nova carreira.

Embora não queira trabalhar novamente em outra coisa, após ter dedicado anos da sua vida trabalhando para se aposentar, pense na chance de trabalhar em algo que sempre quis e nunca pôde. Decorar casas, começar o próprio negócio ou virar escritor: o importante é se concentrar em uma carreira nova e menos estressante que preencherá o tempo e dará a você um senso renovado de propósito em plena aposentadoria.

Trabalhe em meio-período.

Existem muitas possibilidades de trabalhos em meio-período para aposentados: motorista de limusine, contador, professor, cuidador de plantas, etc. Procure por trabalhos temporários que o coloquem em um ambiente novo e interessante, como trabalhar na função de assistente social em uma unidade de saúde ou em uma fazenda fazendo várias coisas.

Os trabalhos em meio-período também são uma boa forma de ganhar uma pequena renda e sentir que está contribuindo para a sociedade. Além disso, o estresse provavelmente será muito menor do que trabalhar em período integral ou no antigo emprego.

Fonte:  WikiHow

Anúncios

Envelhecimento ativo: uma parte fundamental do bem-estar na velhice

AAEAAQAAAAAAAAhGAAAAJDdhOGVjYjQ3LTI3ZWUtNDkwZi1iZjFlLTFiZTk5NjRlM2FiNw-e1517825791469

É difícil pensar nisso, mas os anos passam para todos. Em algum momento das nossas vidas chegaremos nessa fase tão incompreendida por quem ainda não chegou nela: estou falando da velhice. Pensando nisso, uma pergunta aparece na linha do horizonte: a velhice é igual para todos?  Na verdade, não. Nessa última fase do percurso da vida, cada um de nós continua sendo diferente e único. É por isso que se diferencia o envelhecimento ativo do passivo.

As diferenças que vão muito além das dores físicas; também encontramos diferenças, por exemplo, nas emoções que predominam nessa fase. O caso é que o nível de atividade que a pessoa mantém influencia todas as dimensões que condicionam o seu estado. 

“Quando me dizem que eu sou muito velho para fazer uma coisa,
procuro fazê-la imediatamente.”

-Pablo Picasso-

 

O estado psicológico influencia a longevidade e a qualidade de vida.

Nos últimos séculos, melhoramos notavelmente a nossa higiene e nosso cuidado pessoal. Acumulamos mais conhecimentos sobre as doenças e sobre as formas de tratamento. Defende-se a segurança nos mais diferentes âmbitos da vida. Tudo isso tem um resultado óbvio: cada vez há mais pessoas que vivem por mais tempo.

Mas não só as melhorias na nossa saúde física influenciam, as melhorias na saúde mental também o fazem. Mesmo que tradicionalmente o estado psicológico das pessoas tenha sido relegado a um segundo plano, deixando as questões físicas em primeiro lugar, isso tem começado a mudar. De tal maneira que o estado psicológico se tornou um fator fundamental nos estudos sobre o envelhecimento realizados atualmente.

“Todos queremos chegar à velhice, mas todos negamos ter chegado.”
-Quevedo-

Assim, por exemplo, foi descoberto que a capacidade cognitiva, o valor que nós mesmos damos à nossa própria saúde, o fato de nos sentirmos úteis e de participarmos de atividades diariamente, são os melhores fatores que indicam a longevidade. O que isso mostra? A importância do envelhecimento ativo para a nossa qualidade de vida.

O que significa o envelhecimento ativo?

O envelhecimento ativo tem como consequência e implica a participação social das pessoas idosas, assim como continuar buscando e descobrindo novas experiências que promovam o aprendizado e sejam prazerosas. Também implica o desenvolvimento individual, a autorrealização e o bem-estar ao longo dos anos. Ou seja, tem como objetivo o envelhecimento bem-sucedido das pessoas, de maneira que as “dores” prejudiquem seu bem-estar o menos possível.

 Para isso, é preciso levar em consideração a idade da pessoa, sua saúde física, sua saúde psicológica, sua eficácia cognitiva, sua competência social, sua produtividade, seu autocontrole pessoal e sua satisfação na vida em geral. Ficar bem em relação a esses componentes é um estado que pode ser atingido ao trabalhar três áreas básicas: evitando doenças e deficiências, mantendo elevadas funções cognitivas e físicas e fomentando o compromisso com a vida que teremos quando chegarmos à velhice.

“Uma bela velhice é, comumente, a recompensa de uma bela vida.”
-Pitágoras-

O que favorece o envelhecimento ativo?

Nossa maneira de agir, de pensar e de sentir influenciam a nossa saúde, a nossa participação social e a nossa segurança na velhice. Ou seja, desempenham um papel no qual teremos um envelhecimento ativo. Assim, nosso estilo de vida tem um grande peso no condicionamento da nossa saúde.

Por exemplo, a frequência com que realizamos tarefas mentais é um fator protetor da saúde mental. Portanto, é recomendável fazer atividades como palavras-cruzadas, sudoku, jogar xadrez para evitar o comprometimento cognitivo associado às demências. Mas, além de exercitar a memória, a atenção ou a concentração, há mais coisas que devem ser consideradas.

Também é relevante no envelhecimento ativo que a pessoa se sinta competente no seu dia a dia dentro do possível. Sentir-se capaz de continuar controlando sua própria vida ou suas condições de saúde vai ajudar a pessoa a reforçar sua autoestima e seu bem-estar.

Por fim, foi descoberto que o fato de conseguir se recuperar ou não de uma doença é influenciado pela maneira como a pessoa enfrenta as situações de estresse criadas. Nesse sentido, evitar essas situações não vai nos ajudar em nada. Por outro lado, se a enfrentarmos de maneira ativa, teremos uma bagagem maior para viver… Promova o envelhecimento ativo!

 

Fonte: amentemaravilhosa.com.br

Quatro alimentos que devem estar todos os dias na mesa dos idosos

frutas1 Importância-do-leite cereais_integrais_2-mvx9cqj23fzyo2zfa0sv0au4qhx21hmalrdtd9v4cs 589e2547e333ba47ab5650aab84edbf29e492f6772d8a

Apesar da fase ser conhecida pelo declínio, com os alimentos certos, o coração, ossos e memória podem ser protegidos.

Muitas pesquisas investigam os efeitos de alimentos específicos na saúde das pessoas na terceira idade. A guerra entre gorduras e carboidratos é contínua e segue sendo alvo de estudos. Ainda que os efeitos de alguns produtos sejam controversos, quando se analisa a saúde dos idosos há alimentos que não podem ficar de fora da rotina.

Para Marinês Fernandes, nutricionista do Hospital da Santa Casa de Porto Alegre, reduzir o açúcar e o sal do dia a dia da terceira idade é tão importante quanto manter diariamente alguns alimentos essenciais.

O trânsito gástrico dos idosos é mais complexo. Eles têm dificuldade de esvaziamento, digestão mais lenta, diminuição de ácidos estomacais. Por isso, a sensação de saciedade faz com que a necessidade de comer seja ocultada e os idosos acabam comendo menos.

De acordo com uma pesquisa do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual, de São Paulo, os idosos têm 3,7 vezes mais risco de desnutrição dos os adultos. A recuperação das pessoas mais velhas também é mais difícil. Por isso, é tão importante cuidar o que e quando eles estão comendo.

A alimentação inadequada acarreta diversos problemas nos idosos. A regra básica deve ser: fazer seis refeições pequenas todos os dias – comentou Marinês.

Um estudo que investigou as zonas mais prósperas em todo o mundo revelou que idosos que comem bem, mas não comem muito estão mais protegidos de doenças e têm mais qualidade de vida.

 

A nutricionista listou quatro grupos alimentares que devem estar presente na mesa da terceira idade todos os dias:

1. Leites e derivados

Esse alimentos são de fácil digestão e as principais fontes de cálcio, que protege ossos e articulações. O ideal é dar preferência aos desnatados e consumir de três a quatro porções por dia.

2. Frutas, verduras e legumes

Dê preferência às frutas, verduras e legumes da estação e in natura. O efeito no bolso e no corpo serão imediatos – diz a nutricionista que explica também que banana, laranja e mamão são frutas que podem ser consumidas em qualquer época do ano.

Esses alimentos são ricos em fibras, vitaminas e sais minerais que vão ajudar a descongestionar o trânsito estomacal. Além disso, deixam o prato mais saboroso e diverso. Infelizmente, muitos idosos, em função da dificuldade de preparar, do cansaço e da falta de apetite coloca apenas dois tipos de produtos no prato: carne e arroz ou frango e massa. O ideal é consumir de duas a quatro porções de fruta por dia e de duas a cinco de verdura e legumes.

3. Alimentos integrais

Farinhas, arroz, aveia, massa. Consumidos em massa na versão refinada, atualmente os mercados já apresentam esses tipos na versão integral de diversas marcas e a um custo mais acessível.

4. Chás claros

Marinês explica que hidratação é fundamental para os idosos. Como paladar pode perder a sensibilidade com o passar dos anos, nem sempre a água é um prazer para eles. Por isso, beber chás claros gelados e sem açúcar pode ser uma boa pedida para alternar com a água. Café e chás escuros devem ser evitados porque prejudicam o metabolismo dos mais velhos.

 

Fonte: gauchazh.clicrbs.com.br

Longevidade: Dicas

longevidade-1140x760

Uma lista elaborada por profissionais da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia estabelece 45 passos para quem deseja continuar ativo e saudável após chegar à terceira idade. Além de vetar uso do cigarro e fazer recomendações sobre alimentação e prática de esportes, o material destaca hábitos sociais para prevenir doenças e dá dicas para elevar a autoestima e a qualidade de vida. 

– Cuide da pressão arterial: A hipertensão arterial pode levar à insuficiência renal, insuficiência cardíaca, derrame cerebral, ataque cardíaco e acelera a arteriosclerose;

– Evite a obesidade: Mantenha-se no peso ideal;

– Não fumar: O fumo se relaciona com o câncer no pulmão, enfisema pulmonar, úlceras, impotência sexual, ataque cardíaco, gangrena nas pernas, hipertensão arterial e suas consequências;

– Faça exercícios aeróbicos: Caminhadas (passos rápidos), entre 30 minutos e 1 hora por dia. Haverá melhora do condicionamento cardiorrespiratório e também na produtividade, libido, tônus muscular, memória, tensão, ansiedade, qualidade do sono, fadiga;

– Praticar esportes: É muito saudável, porém, como lazer, sem competir;

– Procure eliminar as tensões e estresse: Organize melhor sua vida, aprenda a fugir de “problemas” – discipline-se para não se enervar com coisas pequenas – Quando diante de problemas inevitáveis, lembre-se que poderiam ser maiores, “tire-os de letra”, seja alegre e tolerante, ignore os ignorantes, divida responsabilidades, não seja apressado, seja um otimista, tenha um amor próprio;

– Controle as gorduras sanguíneas: Lipoproteínas, colesterol e triglicerídeos fora dos limites normais, predispõe a arteriosclerose e suas consequências (infarto, derrames cerebrais); não seja um “esclerosado”. Declare “guerra” ao excesso de triglicerídeos e colesterol;

– Faça ingestão adequada de vitaminas: Através da boa alimentação e suplementações, evite exageros e “megadoses”. Exemplos: o excesso de vitamina A provoca danos ao fígado, dores de cabeça e borramento da visão; o excesso da vítima D causa distúrbios musculares e cardíacos; doses altas de vitamina C podem precipitar a formação de cálculos renais;

– Não se esqueça dos oligoelementos (cobre, zinco, manganês, selênio) que são vitais para o organismo; a suplementação nas doses corretas é importante;

– Nunca tome medicamentos sem orientação médica, não repita receita médica por conta própria. Lembre-se que o uso abusivo ou inadequado de remédios é uma das grandes causas de mortalidade. Tome muito cuidado com “remédios novos” e “novidades”

– Nunca faça “dietas da moda”: Quase sempre são exageros sem nenhuma base científica, comumente trazem problemas sérios. O único modo seguro para emagrecer é reduzir corretamente a ingestão de calorias;

– Fuja dos medicamentos moderadores de apetite;

– Controle sua glicemia (açúcar no sangue): Diabete é uma das maiores causas de envelhecimento precoce e causa severos danos em órgãos (olhos, rins, cérebro) e na circulação, leva à impotência sexual, acelera arteriosclerose e diminui resistência orgânica;

– Cuidado com bebidas alcoólicas: Beba com moderação, não passe de um aperitivo ou um copo de cerveja; dar preferência aos vinhos tintos;

– Cuide da viscosidade do seu sangue: O sangue menos viscoso circula melhor, oxigena mais;

– As melhores sobremesas não são os doces, são as frutas, o excesso de doces significa mais calorias e mais obesidade, é saudável o uso diário de melo puro (uma colher de sopa);

– Evite o mais que puder os seguintes alimentos: frituras em geral, leite integral, nata, creme e manteiga de leite, gema de ovos, maionese, queijos curados, carnes gordas, miúdos, embutidos em geral (frios), toucinho, banhas, frutos do mar (crustáceos) e todos os alimentos que contém gordura hidrogenada;

– Viva a vida dentro das normas sociais, porém nunca vida em função total delas, não se apegue às normas e “tabus”, ignore os preconceitos, seja “autêntico”, não viva em função do que os outros pensam; valorize você mesmo. Evite sempre que possível fazer o que não gosta. Um preconceito inaceitável é com relação à sexualidade. É importante exercitá-la;

– Tenha um “hobby”, dedique parte do seu tempo a ele. Procure fazer o que você gosta;

– Conviva com outras pessoas, amigos e familiares. Fuja do isolamento e da solidão;

– Duas ou três vezes da semana substitua carne vermelha (bovina) por branca (frango e/ou peixe);

– Cuide de seu organismo tanto ou mais que de suas coisas, nada é mais importante que sua vida com saúde. Não se trate sozinho ou por orientação de leigos, cuide dos eventuais problemas da saúde nas fases iniciais, evite que o mal cresça, utilizando os modernos recursos diagnósticos da medicina atual;

– Tire regularmente suas férias, fugindo da rotina diária;

– Repouse de seis a horas por dia, dormindo algumas destas horas;

– Faça ingestão diária de alimentos ricos em fibras (feijão, verduras, aveia, maçã, pão integral, centeio, manga, germe de trigo), pois as fibras são importantíssimas para o aparelho digestivo e ajudam a controlar o colesterol. Quantidade ideal de 25g a 35 g/dia;

– A alimentação diária só é completa quando ingerimos: frutas (especialmente banana, maçã, mamão, laranja e acerola), verduras, legumes, cereais, leite magro e carne magra. As melhores verduras são: alface, couve, agrião, brócolis, espinafre, almeirão e chicória. Os legumes: cenoura, vagem e rabanete;

– Mulheres e homens a partir dos 40 anos devem ingerir pelo menos dois copos de leite magro diariamente e tomar sol pelo menos 20 minutos por dia;

– Toda mulher a partir do momento que inicia o climatério, com ou sem sintomas, deve procurar o seu médico (ginecologista, geriatra clínico) para avaliar a possibilidade de fazer reposição hormonal, o que contribuirá para minimizar a osteoporose e o envelhecimento precoce, dentre outras vantagens;

– A comida “típica” brasileira – arroz, feijão, verduras e bife – é uma das “melhores do mundo” do ponto de vista geriátrico;

– Beba no mínimo 1,5 litro de líquidos diariamente (água, sucos, água de coco, chá e leite desnatado), coma alimentos ricos em potássio (banana, laranja, tomate) e fibras. Costumamos dizer que o aparelho digestivo do idoso gosta muito de líquidos, potássio, fibras e caminhadas;

– Faça pelo menos três refeições ao dia – a mais importante é a primeira (café da manhã) e a mais leve é a última (jantar);

– Exercite um pouco a sua mente todos os dias: leituras, filmes, estudo, escritas, jogos, palavras cruzadas, conversar e interagir com outras pessoas;

– Nunca comer muito sal, faça esforço para reduzir. O brasileiro em geral come cinco vezes mais sal que o necessário (6g/dia é o suficiente);

– Não importa a idade, tenha sempre algo para fazer, alguma obrigação ou trabalho, nunca ficar totalmente ocioso. Não abra mão do seu direito de opinar, participar e comandar. Tenha sempre um “ideal” para ser conquistado ou pelo menos mantido. O homem começa a morrer quando não tem mais ideal. “Os anos enrugam a pele, a falta de atividade e de ideal enrugam o espírito”;

– Diariamente, os banhos devem ser frios ou mornos – evite banhos muito quentes;

– Tomar até duas xícaras de café por dia (quente, feito na hora) é hábito saudável;

– É benéfico para a maior longevidade da pessoa que seus locais de família, trabalho e lazer estejam próximos;

– Tome muito cuidado com a ociosidade que costuma vir junto com a aposentadoria. É muito comum aparecer doenças depressivas nesta fase, programe sua vida de aposentado. Tenha sempre algo para fazer;

– Tenha sempre um médico da sua confiança. Deixe que ele, que cada vez mais conhece você, seu organismo, sua família, oriente seus tratamentos e quando necessário ele fará a indicação de outros profissionais;

– É preciso conscientizar que o ser humano tem três fases, três idades bem distintas: criança – adulto – velho. Em cada uma destas fases da vida, são bastante diferentes a forma de manifestações das doenças, a intensidade e a maneira de tratá-las, são grandes as diferenças orgânicas e psicológicas, existem doenças gerais e doenças típicas em cada uma destas fases, a reação aos medicamentos e a capacidade de defesa variam muito em função da idade;

– Pela ação antioxidante e de combate aos radicais livres, é muito importante na terceira idade as vitaminas A, E e C, os oligoelementos zinco, selênio e cobre em doses corretas, sem excessos. Converse com o seu médico sobre os antioxidantes e combate aos “radicais livres”;

– A partir dos 50 anos de idade, consulte seu médico pelo menos uma vez por ano, mesmo que julgar desnecessário, para que seja feito um bom exame clínico e, se necessário, exames laboratoriais. Prevenir é o melhor remédio;

– Os alimentos crus, cozidos e assados são mais saudáveis; as frituras você deve abolir do seu dia a dia. As conservas, condimentos e temperos fortes, em uso rotineiro, não fazem bem. O azeite de oliva, o óleo de soja, milho, girassol e canola não têm colesterol. Comer molho de tomate, chocolate amargo, alho e cebola é hábito saudável e lembre-se que o tipo de carne (porco, vaca, frango ou peixe) é menos relevante. O que importante mais é que a carne seja magra – em geral, as brancas são as melhores;

– Trabalhe como se fosse viver eternamente, porém, viva a vida pois a morte é inevitável. “Mais importante que acrescentar anos à vida é acrescentar vida aos anos”. Preocupe-se com sua qualidade de vida;

– A espécie humana tem programação genética para viver 120 anos. É difícil, porém possível, chegar lá: Seja cometido em todos os seus atos – evite os excessos em todas as atividades. Conheça os limites adequados para tudo que se for realizar. O “segredo” da vida saudável e feliz depende muito de andar, trabalhar, amar e cuidar-se (saúde e alimentação).

Fonte: G1

Curso de Idiomas na Terceira Idade

8k7w4asp1cd5lrfnyovridkaj

Se você pensa que escola é coisa destinada apenas aos jovens, saiba que está enganado. Sempre é momento para aprendermos algo novo na vida e nada melhor do que investir o tempinho livre da aposentadoria em um curso de idiomas.

Fazer um curso na terceira idade deixa a mente mais ativa, evitando problemas de memória. Além do benefício para a saúde, também é observado uma melhora na interação com pessoas. Como na sala de aula é preciso interagir com os demais colegas, aumenta a capacidade de interação social, o que contribui para elevar a autoestima, atualizar conhecimento e fazer novos relacionamentos ou amizades.

Para aqueles que pretendem investir no curso de idiomas, é preciso deixar claro que nem sempre é uma tarefa fácil, mas isso não é motivo para você desistir. Com empenho, dedicação e, especialmente, muita paciência o esforço trará bons resultados. Veja algumas dicas infalíveis para facilitar o aprendizado:

  • Tempo

Antes de começar a estudar é preciso organizar o tempo. Liste todas as suas atividades diárias e a quantidade de tempo que dedica a cada uma delas. Veja qual horário é mais acessível para estudar e revisar tudo o que já viu no curso.

  • Organização

O ideal é que o estudo seja concentrado em um espaço adequado, silencioso, iluminado e agradável. Além disso, na mesa de estudos deixe itens que você sabe que usará para evitar interrupções e, consequentemente, perda de foco. Neste caso, deixe o dicionário, livros de consulta, fone de ouvido, caderno e demais itens, tudo acessíveis.

  • Rotina para o estudo

Um método que ajuda a assimilar melhor o aprendizado é distribuir as horas de estudo em horários diários. O mais recomendado é optar por um estudo realizado quatro vezes por semana, uma hora por dia, do que quatro horas em um mesmo dia. No decorrer do dia, dedique 15 minutos para contato com o outro idioma.

  • Use no dia a dia

Para fixar ainda mais o idioma, a dica é manter o contato com a língua no dia a dia. Ou seja, assista filmes, ouça músicas, leia livros ou jornais, visite sites do país no qual a língua que você estuda é falada porque quanto maior o contato, mais fácil ficará para aprender a língua estrangeira. Além disso, no caso das músicas e do filme, ajuda na pronuncia das palavras.

  • Persista

Se estiver com dificuldades para aprender, converse com o professor para que ele lhe ajude e oriente sobre quais pontos precisam ser melhorados. Os resultados nunca são imediatos e também não é possível determinar o período exato para a aprendizagem porque inúmeros fatores influenciam. Mas, persevere até aprender.

  • Cautela com o contexto

Evite decorar exercícios ou palavras e termos. Para aprender o idioma corretamente é importante analisar as frases completas e evitar entender apenas as palavras de forma individualizada. Encare o idioma como um novo universo e, dessa forma, descubra suas características especificas.

  • Deixe de lado a timidez

A timidez é um dos maiores obstáculos para o aprendizado. Por este motivo, não tenha medo de errar. Comece a se expressar em público, pois ajuda a treinar a pronunciação da língua estrangeira e o professor pode dar dicas interessantes que aperfeiçoarão a sua fala.

 

Fonte: aterceiraidade.net

Tecnologia na Terceira Idade: Risco ou benefício?

1118

Você provavelmente já ouviu que o mundo está cada vez mais conectado, certo? De fato, com a chegada da Internet, as pessoas passaram a saber de tudo que acontece no mundo em uma velocidade incrível e, muitas vezes, o elo de informação está na palma das mãos.

Mesmo com tantas mudanças de comportamento, muitos ainda afirmam que a tecnologia não é um benefício para os idosos. Ledo engano! Além de abraçar toda a população, a tecnologia na terceira idade pode trazer benefícios incríveis. Conheça alguns dos principais que listamos para você:

Coloca a mente para funcionar

Em um primeiro momento, usar as tecnologias pode ser muito desafiador para as pessoas mais velhas, pois é um mundo novo que se abre. Justamente por isso, estimular esse uso pode trazer muitas vantagens para os idosos, exercitando a mente e reduzindo a perda de memória que é natural com o passar do tempo.

De fato, pessoas que mantém hábitos tecnológicos têm um risco menor de desenvolver demência ou Alzheimer. Uma vantagem e tanta, não é mesmo?

Oportunidade de continuar aprendendo

Exercitar a mente é uma excelente oportunidade de seguir o processo de aprendizagem – independente da etapa que você esteja vivenciando na vida. Você pode procurar um dos diversos cursos online disponíveis, como de gastronomia, um novo idioma ou que mais você tiver interesse. Opção é o que não falta, pode acreditar!

E tem mais: a Internet revela uma possibilidade de desbravar novos países, museus, jornais e o que mais for de seu interesse. Tudo isso de forma rápida e barata, podendo ser um grande aliado na hora de aumentar seu conhecimento cultural.

Desenvolve outras habilidades

Ao romper os primeiros desafios, você logo começa a mudar o comportamento e desenvolve habilidades para desempenhar outras tarefas. A habilidade motora, por exemplo, é uma das mais favorecidas. Nada mais natural, já que você precisa mexer a mão de forma certeira para conseguir clicar no que deseja, além da necessidade de digitar em várias situações.

Promove a socialização

Os computadores conectados a Internet ajudam muito a preservar os laços familiares, aproximando amigos, familiares e até mesmo aquele conhecido que você não encontra há anos. Através dessa ferramenta é possível conversar em tempo real, trocar e-mails, ver fotos e manter um contato bem mais próximo e intenso.

Essa é uma das grandes vantagens, principalmente em um período que as pessoas começam a ficar mais isoladas e têm uma tendência maior de sofrer com depressão. E nada de se restringir apenas a navegação pela Internet e troca de e-mails. Abra sua mente e se arrisque em novas opções, tendo sempre cuidado e zelo na hora de oferecer informações pessoais.

Oportunidade de diversão

Os jogos online são ótima opção para quem está com a rotina mais tranquila e querendo se divertir. É possível jogar desde buraco online até jogos mais elaborados, tudo dependendo do seu gosto e habilidade.

E não precisa pensar apenas nos jogos! É possível se entreter assistindo vídeos, seriados e tudo mais que a Internet oferece. Como você pode perceber, ela é uma verdadeira aliada quando o assunto é distração.

Pode ser que algumas pessoas apresentem dificuldades em um primeiro momento, mas é bom ter paciência e entender que isso faz parte do processo. O importante é não se privar de conhecer as novas tecnologias na terceira idade e desfrutar de todas essas vantagens que compartilhamos hoje!

Fonte: Aconchego – Residencial para Idosos

Como aproveitar a vida depois dos 50 anos?

idosos

Conforme as pessoas vivem cada vez mais, as noções relacionadas à idade e ao envelhecimento vêm mudando no mundo todo. De fato, a velha crença de que as pessoas de cinquenta anos estão na meia-idade já não é mais verdade: “os cinquenta são os novos quarenta”. No entanto, talvez você não saiba ao certo como aproveitar a vida depois dos 50. Explore o mundo ao seu redor e cuide bem da saúde para poder desfrutar esses anos ao máximo!

Alimente sua curiosidade. Se você tem mais de 50 anos, provavelmente tem filhos já crescidos e, portanto, mais tempo para si mesmo, se for uma pessoa de sorte, talvez até mesmo já esteja aposentado. Portanto, explore o mundo através de atividades prazerosas, viajando, experimentando pratos diferentes ou fazendo cursos.

Crie uma lista com coisas que o interessam e que você pode tentar agora que tem tempo e dinheiro. Por exemplo, talvez você sempre tenha sonhado em tirar uma “licença de piloto”. Nesse caso, aprenda o máximo que puder sobre o assunto e comece a voar, se tiver vontade. Da mesma forma, talvez seu sonho seja uma viagem à Alemanha. Comece a “viajar” em casa, consultando livros e sites de viagens sobre a Alemanha, e planejando uma viagem ou estadia prolongada no país.

Encarar sua idade como um meio de nutrir sua curiosidade vai mostrar o quanto o envelhecimento pode ser incrível e poderoso, desde que as preocupações com a idade sejam deixadas de lado e você cuide bem de si mesmo.

Envolva-se com atividades que ame, mas também com coisas novas. Experimente novas atividades ou dedique mais tempo àquelas que já adora. Dessa forma, você adicionará mais personalidade à vida e poderá deparar-se com novas experiências, e pessoas incríveis.

Envolva-se com atividades e hobbies, como a pintura, a dança e a coleção de moedas, e experimente esportes diferentes, como pilates e yoga. Qualquer atividade que o mantenha ativo e em movimento vai ajudá-lo a cultivar um espírito jovem. Por exemplo, talvez você seja um grande apreciador da arte medieval e, nesse caso, poderia aprender a ilustrar manuscritos.

Mantenha a mente aberta quando estiver experimentando coisas novas, principalmente se estiver lá por causa de seu cônjuge ou amigo. Vivenciar a atividade através de um ente querido poderá levá-lo a valorizar ainda mais essa pessoa.

Viaje sempre que puder. O mundo conta com uma quantidade imensa de lugares a serem explorados, desde países estrangeiros até as cidades vizinhas. As viagens manterão o corpo em movimento e o cérebro alerta, o que poderá ajudá-lo a permanecer jovem por dentro.

Divirta-se em qualquer lugar que possa visitar, mesmo que seja no estado vizinho. Esses lugares podem oferecer novas perspectivas sobre a forma como as outras pessoas envelhecem e se levam a vida depois dos 50 anos.

Quando quiser viajar, escolha destinos menos comuns. Nem sempre as atrações turísticas populares são tão estimulantes e envolventes quanto um lugar completamente novo. Por exemplo, em uma viagem à Alemanha, visite cidades pequenas ou menos visitadas, como Wurtzburgo ou Bad Tölz, em vez de percorrer áreas maiores, como Munique.

Aumente seu conhecimento. Assista a aulas sobre tópicos que o interessem ou continue a participar de treinamentos profissionais. Desafiar o cérebro constantemente poderá evitar que ele envelheça.

Participe de cursos, palestras, seminários ou quaisquer outros programas de educação continuada que estimulem a mente. Muitas universidades oferecem aulas para “alunos seniores” ou disponibilizam cursos on-line.

Os cursos e os estudos poderão proporcionar experiências novas e emocionantes em sua vida.

Seja ativo na comunidade. Desempenhar um papel na sua comunidade ou região, como uma participação ativa na câmera de comércio local, pode ser uma forma de permanecer envolvido com o mundo e, ao mesmo tempo, de ajudar os demais. Essas atividades também poderão ajudá-lo a conhecer outras pessoas com mais de 50 anos que queiram curtir a vida tanto quanto você.

O engajamento político, através de conselhos escolares ou iniciativas locais, será uma atividade construtiva e permitirá que você use sua sabedoria para ajudar outras pessoas.

Trabalhe como voluntário. Os simples atos de bondade e caridade vão ajudá-lo a permanecer envolvido com o mundo e a compartilhar sua sabedoria e experiência com os demais. O voluntariado também poderá colocar sua vida e capacidade de envolvimento sob uma perspectiva mais positiva e, consequentemente, vai ajudá-lo a desfrutar mais desses anos.

Seja voluntário em uma escola, hospital ou centro comunitário.

Ofereça-se sempre para ajudar amigos e familiares em necessidade.

Conheça gente nova. Muitas pessoas descobrem que seus gostos e perspectivas de vida mudam depois dos 50, portanto, conhecer gente nova vai ajudá-lo a permanecer envolvido com o mundo, além de apresentá-lo a experiências novas e incríveis. Você também poderá contar com um grupo de pessoas queridas, que se importam com seu bem-estar.

Viva intensamente também depois dos 50 !

Fonte: WikHow