Alimentação

Residência_Post-sobre-alimentação.jpg

Ela chega lá pelos 65 anos de idade. A maioria chama de “terceira idade”, mas o nome mais bonito que já deram para essa fase é “melhor idade”! E também, e não era pra menos: o Brasil hoje é um dos países com maior quantidade de idosos. Com certeza é um bom sinal de que nossa saúde está indo cada vez melhor. Outra coisa boa da “melhor idade” é que a maioria dos idosos consegue ter um tempo maior para fazer o que gosta, sem tantas obrigações como antes,e também dá pra cuidar melhor da saúde, que geralmente exige alguns cuidados especiais nessa fase.

A terceira idade geralmente chega trazendo algumas mudanças para o corpo. Veja alguns exemplos:

– menos apetite (paladar menos apurado, menos salivação e às vezes, menos mastigação por causa da queda de dentes). Por isso, é importante tomar cuidado para que não haja deficiência de nutrientes ;

– digestão lenta e acúmulo de gases (flatulência);

– ritmo mais lento para as mesmas atividades do dia-a-dia, o que pode significar menor gasto de energia e maior acúmulo de gorduras no corpo;

– maior risco de doenças crônicas como diabetes, obesidade, hipertensão, Mal de Parkinson, certos tipos de câncer etc.

Mas é bom lembrar que essas mudanças vão depender bastante do estilo de vida que o idoso adotou até agora (e também da tendência genética que ele herdou dos pais). Se ele manteve hábitos saudáveis, com certeza vai ser mais fácil envelhecer com qualidade de vida.

Veja só essas DICAS NATURAIS PARA AJUDAR A MANTER A SAÚDE E A VITALIDADE NA TERCEIRA IDADE:

1 – CASTANHA DO PARÁ E CEREAIS INTEGRAIS (arroz integral, aveia, trigo etc) SÃO BEM-VINDOS. Eles contêm zinco, importante para aumentar a sensibilidade do paladar e estimular o apetite;

2 – EVITE ALIMENTOS REFINADOS (feitos com farinha branca como pão francês, bolachas refinadas, arroz branco, etc) para melhorar a digestão e prevenir a flatulência;

3 – QUANTO MAIS LONGE DO AÇÚCAR, MELHOR. Tanto ele quanto os produtos refinados aumentam o risco de diabetes;

4 – VARIAR É SAUDÁVEL. Abuse das frutas, verduras e legumes de cores e tipos diferentes. Junto com essa variedade, vêm um monte de nutrientes diferentes, importantes para evitar deficiências nutricionais, comuns entre idosos. Grãos integrais também ajudam bastante;

5 – PORÇÕES MENORES, MAIS VEZES POR DIA. Diminua a quantidade das refeições mas coma mais vezes ao dia. Isso ajuda a dar a sensação de fome e aumenta o apetite;

6 – COMIDINHA LEVE E NUTRITIVA NO JANTAR. Faça uma refeição mais leve à noite (com vegetais e grãos integrais, como uma sopa ou um risoto de quinua, por exemplo). Isso ajudará a facilitar a digestão;

7 – MENOS SAL, MAIS ERVAS NATURAIS. Reduza o sal de cozinha e os produtos artificiais que contém sódio (como molhos e caldos artificiais, adoçantes à base de ciclamato de sódio ou de sacarina sódica etc). Para temperar, prefira as ervas naturais ou o gersal;

8 – UMA ATENÇÃO ESPECIAL À SAÚDE DOS OSSOS. Para isso, invista nas fontes naturais de cálcio (gergelim, brócolis, folhas verde-escuras, linhaça) e de magnésio (grãos de bico, banana, gergelim, castanha do pará). Não deixe de tomar sol, todos os dias também (pelo menos 15 minutos por dia, até 10h da manhã ou após 16h); ele ajuda o corpo a produzir vitamina D, que facilita o aproveitamento do cálcio dos alimentos;

9 – EVITE OS “LADRÕES DE CÁLCIO”, como as bebidas alcoólicas e café, chá preto e refrigerantes;

10 – CUIDE DO CORAÇÃO. Pra isso, as gorduras “do bem” presentes na linhaça, no azeite extra virgem, nas castanhas e amêndoas são imbatíveis. Eles ajudam a prevenir a aterosclerose e outras doenças cardiovasculares. As fibras do farelo de aveia, também ajudam muito, principalmente na hora de manter os bons níveis de colesterol;

11 – A FAVOR DO INTESTINO, prefira as fibras dos cereais integrais, fibra de trigo, farelo de aveia, dos brotos de feijão e alfafa, do bagaço de laranja… eles previnem a “prisão de ventre” e o câncer de intestino;

12 – MUITA, MUITA ÁGUA! Ela ajuda a desintoxicar, hidrata, facilita o trabalho do intestino e dos rins, entre muitas outras vantagens;

13 – MASTIGUE CO CALMA, várias vezes. Isso facilita a digestão;

14 – MEXA-SE. Atividade física faz bem pro corpo e pra mente. Faça com orientação profissional;

15 – PROCURE MANTER O BOM-HUMOR E OS MOMENTOS DE ALEGRIA E LAZER. Isso dá um bem-estar enorme, e a saúde vem de brinde!

Até a próxima postagem !

 

🙂 🙂 

Anúncios

Os cinco maiores arrependimentos no fim da vida

15257420

Ana Claudia Quintana Arantes é uma médica especializada em ajudar pacientes terminais a ‘aprender’ a morrer. Nesta entrevista, ela fala sobre o desafio de se lidar com algo tão natural, porém, perturbador, como a própria morte.

A especialista relembra os cinco maiores arrependimentos das pessoas antes de morrer. A lista faz parte do livro ‘Antes de partir: uma vida transformada pelo convívio com pessoas diante da morte’, da enfermeira australiana Brownie Ware.

‘Um deles é não ter demonstrado afeto. Passamos a vida construindo muros ao redor do coração da gente para ninguém perceber o que a gente está sentindo’, diz Ana. ‘A outra coisa é (se arrepender) de ter trabalhado tanto’. O último que é colocado é: ‘Eu devia ter me feito mais feliz’, que para mim resume todos os outros.

Os outros arrependimentos citados pela enfermeira australiana são ter vivido a vida que se desejava e ter estado mais perto dos amigos.

A pedido do Hospital Albert Einstein, a médica Ana Cláudia Arantes, geriatra e também especialista em cuidados paliativos, analisou a publicação e falou sobre cada um dos arrependimentos levantados pela enfermeira australiana.

  1. Eu gostaria de ter tido a coragem de viver a vida que eu queria, não a vida que os outros esperavam que eu vivesse.

‘Esse foi o arrependimento mais comum. Quando as pessoas percebem que a vida delas está quase no fim e olham para trás, é fácil ver quantos sonhos não foram realizados. A maioria das pessoas não realizou nem metade dos seus sonhos, e muita gente tem de morrer sabendo que isso aconteceu por causa de decisões que tomou, ou não tomou. A saúde traz uma liberdade que poucos conseguem perceber, até que eles não a têm mais’.

  1. Eu gostaria de não ter trabalhado tanto.

‘Eu ouvi isso de todos os pacientes homens com quem trabalhei. Eles sentiam falta de ter aproveitado mais a juventude dos filhos e a companhia de suas parceiras. As mulheres também falaram desse arrependimento, mas como a maioria era de uma geração mais antiga, muitas não tiveram uma carreira. Todos os homens com quem eu conversei se arrependeram de passar tanto tempo de suas vidas no ambiente de trabalho’.

  1. Eu queria ter tido a coragem de expressar meus sentimentos.

‘Muitas pessoas suprimiram seus sentimentos para ficar em paz com os outros. Como resultado, acomodaram-se em uma existência medíocre e nunca se tornaram quem realmente eram capazes de ser. Muitas desenvolveram doenças relacionadas à amargura e ao ressentimento que carregavam’.

  1. Eu gostaria de ter ficado em contato com os meus amigos.

‘Frequentemente, os pacientes não percebiam as vantagens de ter velhos amigos até chegarem em suas últimas semanas de vida, e nem sempre era possível rastrear essas pessoas. Muitos ficaram tão envolvidos em suas próprias vidas que deixaram amizades de ouro se perderem ao longo dos anos e tiveram muitos arrependimentos profundos por não ter dedicado tempo e esforço às amizades. Todo mundo sente falta dos amigos quando está morrendo’.

  1. Eu gostaria de ter me permitido ser mais feliz.

‘Esse é um arrependimento surpreendentemente comum. Muitos só percebem isso no fim da vida – que a felicidade é uma escolha. As pessoas ficam presas em antigos hábitos e padrões. O famoso ‘conforto’ das coisas familiares e o medo da mudança fizeram com que eles fingissem para os outros e para si mesmos que estavam contentes quando, no fundo, ansiavam por rir de verdade e aproveitar as coisas bobas em suas vidas de novo.’

Texto: Ana Claudia Quintana, médica geriatra | Bem Mais Mulher

Cuidados no Inverno

8-dicas-praticas-para-se-manter-saudavel-durante-o-inverno

A chegada do inverno também traz uma reclamação feita pela maioria dos idosos: as dores nas articulações aumentam e, principalmente, os idosos que sofrem de artrose têm as dores potencializadas coma chegada das baixas temperaturas.

Os idosos são mais sensíveis e sofrem mais nessa época do ano. Alguns cuidados ajudam a amenizar o problema.

Segundo médicos, a dor nas articulações se agrava no frio porque as pessoas ficam mais encolhidas, contraindo os músculos constantemente. A constrição das veias também faz com que o fluxo sanguíneo seja diminuído. Além dos fatores, as baixas temperaturas deixam o corpo mais sensível e vulnerável às dores.

Para evitar ou amenizar as dores sentidas no inverno, a dica dos fisioterapeutas é trabalhar os músculos, fazendo exercícios matinas como caminhadas de 30 minutos regulares, porém, com exercícios de alongamento, para que não se corra o risco de lesões.

A professora de gerontologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Mariana Rampazo deu alguma dicas que ajudam osidosos a ficarem aquecidos no inverno. “Existem tecidos de sofá que são gelados, então se você forrar com uma manta já ajuda no aquecimento. Se for necessário, também é bom colocar outra manta sobre as pernas. É importante manter as extremidades aquecidas, principalmente os pés.”

Para evitar acidentes, os idosos devem usar meias com sapatos fechados, nunca com chinelos para não escorregar.

A Gerontóloga recomendou ainda que os idosos não fiquem parados e procurem se movimentar até mesmo enquanto assistem televisão no sofá. “Pode fazer exercícios com as mãos, abrindo e fechando para melhorar a circulação. Também mexer os pés, fazer exercícios para os tornozelos, e esticar e dobrar o joelho. Melhorando a circulação o corpo aquece.”

Na hora de dormir, forrar o colchão com uma coberta também ajuda a esquentar a parte posterior do corpo. Tomar banho durante o dia também ajuda os idosos a não sentirem tanto frio. Para evitar choque térmico após sair do banho quente, é preciso manter as janelas fechadas para evitar as correntes de ar.

E que tenhamos um ótimo inverno!

Existe inflação da terceira idade?

2-1Se você passou dos 60 anos de idade, saiba que reajuste anual de medicamentos deve provocar alta expressiva no segundo trimestre.

Você sabia que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) mede quais são os preços que mais pesam no bolso das pessoas com mais de 60 anos?

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) é mensurado há dez anos devido à relevância desse grupo específico dentro da população brasileira, hoje 14,3%, ou 23,5 milhões de habitantes, segundo a Síntese de Indicadores Sociais 2016 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Não há uma grande diferença entre a inflação geral (IPC) e o IPC-3i, até porque a composição dos grupos familiares é muito diversa, assim como o perfil do idoso hoje no Brasil. Para se ter uma ideia, o IPC-3i subiu 1,38% no primeiro trimestre, na comparação com o último trimestre do ano passado (0,93%). No mesmo período, o IPC subiu 1,48%.

Mas, segundo Salomão Quadros, coordenador de projetos da FGV, no segundo trimestre o indicador voltado para o idoso deve ficar acima da média nacional.

“Existem fatores sazonais que impactam os grupos inflacionários medidos. No primeiro trimestre, há grande influência no índice geral decorrente do aumento dos preços de mensalidade escolar e reajuste nos transportes públicos. Esses dois itens não afetam os idosos, mas as famílias de uma forma geral, sim. Já no segundo trimestre, quando o governo libera o reajuste anual de medicamentos, este será com certeza um elemento de alta expressivo para o grupo”, explica.

“As pessoas da terceira idade têm investido seu tempo em aprender novas coisas e no lazer”

Olhando item por item, é possível perceber quais preços têm maior influência na vida dos 60+. Das 8 classes de despesas verificadas, apenas 3 registraram alta: Habitação (que passou de -0,16%, no último trimestre de 2016, para 2,02%, no primeiro deste ano), Alimentação (de 0,31% para 1,12%) e Educação, Leitura e Recreação (2,66% para 2,95%).

As classes cujos preços não subiram, portanto, influenciaram pouco: Transportes (que recuou de 2,37% para 0,39%), Saúde e Cuidados Pessoais (1,82% para 1,74%), Comunicação (1,03% para -1,07%), Vestuário (0,75% para -0,19%) e Despesas Diversas (1,54% para 1,51%).

Fonte: Instituto Longevidade

 

VIAGEM NA MELHOR IDADE

turismo-na-terceira-idade-1

É na terceira idade que a saúde começa a ficar mais frágil e mais suscetível a surpresas desagradáveis – mesmo nas pessoas mais fortes e preparadas fisicamente. Porém,  na melhor idade esse fato não deve impedir ninguém de viajar e curtir um tempo fora da zona de conforto.

Mas, para evitar qualquer inconveniente e para ter uma viagem saudável e divertida, os turistas da melhor idade precisam ser diligentes no cuidado consigo. E esses cuidados devem vir antes, durante e depois das férias. Afinal, uma coisa é ficar doente ou acontecer alguma emergência em casa.

Outra coisa é sofrer algo longe da cidade em que mora, dos amigos, familiares e do médico de confiança. Por isso, confira algumas dicas de segurança para viagens na melhor idade:

VÁ AO MÉDICO ANTES DE EMBARCAR

Visite o médico antes da viagem

Faça um check-up com o seu médico antes de ir para qualquer lugar – mesmo se você for viajar para uma cidade que está apenas a uma hora da sua. É sempre útil deixar o seu médico ciente das atividades que você fará no destino e sua companhia de viagem.

Se você for viajar para o exterior, pergunte também ao seu médico quais vacinas de imunização são importantes serem tomadas antes do embarque.

CONFIRA SUAS RECEITAS DE MEDICAMENTOS E A QUANTIDADE QUE VOCÊ TEM

Se você for viajar por mais de uma semana, tenha certeza de que as suas prescrições médicas estejam em dia e que hajam medicamentos o suficiente para o tempo de viagem – mas cheque isso com antecedência. Caso você não tenha remédios suficientes, será necessário agendar uma consulta médica para conseguir novas prescrições, e nem sempre é possível agendar uma consulta em cima da hora.

INFORME AMIGOS E FAMILIARES

Avise os amigos e familiares

Antes de viajar, notifique seus amigos e familiares mais próximos sobre onde irá se hospedar e o que planeja fazer. Ao criar o seu próprio itinerário, faça cópias para as pessoas mais próximas. Isso será útil para eles te encontrarem e saberem como te ajudar em caso de emergências.

CONTRATE UM SEGURO DE VIAGENS

Vocês, turistas da terceira idade, precisam ainda mais de um seguro de viagens. Apesar de ter vários senhorzinhos e senhorazinhas fortes e que adoram viajar o mundo, com o avanço da idade, é inevitável que a saúde fique mais frágil. E se algo de errado acontecer com ela durante o seu passeio, o seguro te dá total cobertura para atendimento médico, já que o seu de confiança terá ficado em sua cidade de residência.

NÃO EXAGERE

Descanse

Não exagere nas atividades físicas, mesmo que você esteja com a sensação de que precisa andar mais, conhecer mais. Se você se sentir exausto e sentir que já andou o suficiente por um dia, siga o instinto e volte ao hotel para descansar. Afinal, é para isso que as férias servem: DESCANSAR!

Viajar e conhecer novos lugares é uma delícia e algo essencial para nossas vidas serem completas, mas devemos lembrar sempre que a saúde vem antes de tudo. Afinal, sem ela, como poderíamos viajar no próximo ano? Por isso, garanta todos os cuidados citados acima e curta muito o passeio!

Boa Viagem !

10 dicas de como lidar com a menopausa

download

A menopausa não é caracterizada como uma doença, mas sim uma etapa na vida da mulher na qual há uma queda na produção dos hormônios femininos progesterona e estrógeno. Com isso, a mulher pode apresentar diversos sintomas, como ondas de calor (fogachos), irritação, depressão, aumento de peso, etc. Muitas mulheres não sabem como lidar com essa nova etapa da vida que pode durar de alguns meses a alguns anos. Veja a seguir nossas dicas de como lidar e viver melhor na menopausa.

Mantenha uma dieta saudável. Tenha uma alimentação baseada em frutas, legumes, verduras e alimentos pouco calóricos. Evite gorduras, açúcar em excesso, refrigerantes e alimentos com muito sal. A alimentação saudável reduz o ganho de peso durante a menopausa.

Controle o seu peso. Durante a menopausa, o metabolismo da mulher muda, de forma que o ganho de peso torna-se mais fácil. O aumento de peso piora os sintomas de ondas de calor, além de aumentar o risco de doenças cardíacas.

Faça controles periódicos da sua saúde. Estudos indicam que mais de 80% das mulheres com menopausa sofrem de outras doenças como diabetes, hipertensão e problemas da tireoide. Portanto, uma visita periódica ao médico é aconselhável.

Pratique atividades físicas. Os esportes, além de ajudarem no controle do peso, ajudam nas ondas de calor. Muitas mulheres relatam que a atividade física melhora a qualidade de vida durante a menopausa.

Refresque-se. As ondas de calor podem ser muito incômodas, portanto, busque lugares refrescantes para estar quando elas vierem. Evite beber líquidos quentes durante esses períodos. Prefira sucos naturais de frutas, água ou leite frio. ATENÇÃO: evite o consumo de refrigerantes e bebidas alcoólicas geladas.

Evite fumar. O cigarro causa muitos danos no corpo, sobretudo da mulher com menopausa. Ele piora as ondas de calor e aumenta o risco de infarto, acidente vascular cerebral e outras doenças que põem em risco a vida da paciente.

Fique atenta ao seu humor. As variações hormonais que ocorrem durante a menopausa podem deixar a mulher mais irritável, sensível e propensa à depressão. Converse com seus amigos para que eles entendam essas variações de humor. Busque ajuda de um ginecologista ou psiquiatra se você acha que está com sintomas de depressão.

Saiba quando a menopausa começa. Embora a idade exata do início da menopausa varie de mulher para mulher, no Brasil ela acontece por volta dos 50 anos de idade. Portanto, se você começar a apresentar ondas de calor, irritabilidade e outros sintomas da menopausa por volta dessa idade, procure um médico.

Tenha um tratamento adequado. Muitas mulheres não podem receber tratamento hormonal, sobretudo se elas têm risco de desenvolvimento de algum câncer ou risco de problemas cardiovasculares. Portanto, há outros tratamentos disponíveis baseados em produtos naturais (como extratos de isoflavonas de soja) e medicamentos específicos para controle das ondas de calor. Converse com o seu médico.

Ingira vitamina E. a ingestão diária de 400 UI de vitamina E ajuda a controlar os sintomas da menopausa. Converse com um médico para saber qual a melhor forma de ingerir essa vitamina.

Seguindo essas dicas, com certeza ira se sentir melhor com essas ondas de calor corporal.

Até a próxima ! 🙂

Fonte: CRIASAUDE

Vida social na Terceira Idade, melhora a atividade física e mental.

moda-e-estilo-para-a-terceira-idade-18

Estar entre amigos e ter uma vida social ativa ajudam a preservar a saúde física e mental dos idosos, sugeriu um estudo do Centro Médico da Universidade de Rush, de Chicago (EUA).

A pesquisa identificou que como, em geral, os idosos gastam menos tempo engajados em atividades sociais sua função motora tende a piorar mais rapidamente. Apenas 10% das pessoas com mais de 65 anos realizam a quantidade recomendada de exercícios físicos de 2,5 a 5 horas por semana.

Outros estudos também indicam que estimular a atividade mental e a socialização na terceira-idade protege contra o avanço de doenças relacionadas à atividade cerebral.

Uma pesquisa que analisou 906 idosos, com idade média de 80 anos, em Illinois (EUA), durante um período de cinco anos, relacionou o aumento da vida social com a melhor realização de uma gama de tarefas, incluindo andar em linha reta e girar em círculos sem perder o equilíbrio.

As análises também consideraram que a redução na atividade social pode ser simplesmente um sintoma de declínio físico, uma vez que as pessoas podem naturalmente participar de menos compromissos sociais quando têm suas habilidades motoras diminuídas. Entretanto, a maioria dos pesquisadores concorda que é importante incentivar e motivar os mais velhos para se integrarem e se movimentarem mais, pois se tratam de hábitos que preservam a lucidez.