Envelhecer de forma feliz!

casal-idoso-se-beijando

Envelhecer feliz é um desejo que quase todos compartilham. Mesmo quando a vida não foi um mar de rosas, sempre podemos fazer com que nossos dias sejam melhores. Especialmente em uma idade avançada, quando nos tornamos consciente de que não nos resta muito tempo.

Existem algumas ações básicas que podemos realizar para melhorar nossa qualidade de vida e envelhecer felizes. São medidas orientadas para preservar nossa saúde física e mental. Dão ênfase a aspectos essenciais, como o cuidado do corpo e o cultivo do afeto.

É verdade que quase nunca estamos prontos para a velhice. De um jeito ou de outro, ela sempre nos pega de surpresa. Superado este estupor inicial, é hora de redirecionar alguns aspectos para poder envelhecer feliz. Estes são cinco conselhos para conseguir.

“Envelhecer é como escalar uma grande montanha: enquanto subimos, as forças diminuem, mas a vista é mais livre, mais ampla e serena”.
– Ingmar Bergman –

1. Para envelhecer feliz, nada como o exercício 

O exercício é a via ideal para viver saudável e envelhecer feliz. A atividade física aumenta a produção de hormônios do bem-estar. Entre eles, as endorfinas. Além disso, trata-se de uma ferramenta decisiva para manter em boa forma todos os órgãos do corpo. Fazer exercício é uma excelente medida preventiva.

Além disso, não falamos apenas do exercício físico, mas também do exercício intelectual. Ler, escrever, fazer palavras-cruzadas e jogos são atividades que exigem pensar e ajudam a manter intactas as funções cognitivas, inclusive em idades avançadas.

2. Fortalecer a rede de amigos

O isolamento não é uma boa opção para nenhuma idade. Não é necessário ter um milhão de amigos, mas sim uma rede social mais ou menos estável. A interação com os demais contribui para manter em bom estado as habilidades intelectuais, além de fazer com que a vida seja mais agradável.

É verdade que às vezes o contato com os bons amigos se reduz pela força das circunstâncias. No entanto, é importante cuidar e cultivar esses vínculos. Sempre é mais fácil envelhecer felizes se contarmos com essas amizades valiosas, pessoas especiais que nos conhecem e apoiam.

3. Ter amigos de diferentes idades

A amizade é uma das formas de relação mais livres e amplas que existem. Sua natureza é muito flexível, o que é maravilhoso. Vale a pena não se restringir a ter amizades somente com os pares. Os amigos de gerações diferentes costumam ser muito proveitosos.

Para uma pessoa idosa, é muito bom manter o contato com gente jovem. Ao mesmo tempo, os jovens ganham muito se contam com amigos de mais idade. Em ambos os casos existem barreiras, mas também pontos de aproximação. Podemos envelhecer felizes quando sabemos valorizar toda a riqueza que existe nessa interação entre diferentes gerações.

4. Fazer somente as coisas que amamos

Para envelhecer feliz é necessário fazer uma depuração em diferentes áreas de nossa vida. Em idades avançadas já se sabe o que produz satisfação pessoal e o que não. Já foram feitas muitas coisas por dever e por compromisso. Agora é tempo de nos dedicarmos somente a aquilo que amamos e valorizamos de coração. Não existe tempo a perder.

Os últimos anos da vida não são os melhores para nos privarmos daquilo que desejamos. Pelo contrário. Como já foi cumprido o que podia ter sido cumprido, e já foram completados ciclos que deveriam ser completados, é hora de mudar de foco. Devemos nos dedicar somente a fazer coisas que nos deixem com um verdadeiro brilho nos olhos. Deixar de perder tempo no que não nos interessa.

5. Buscar novos papéis

Conhecer a nós mesmos ou ter hábitos consolidados não quer dizer que a vida não tenha lugar para a novidade. Na verdade, jamais terminamos de nos conhecer. Sempre surge alguma faceta que acaba nos surpreendendo.

Uma maneira de envelhecer feliz é explorar novos papéis, ter coragem de fazer aquilo que até agora não tínhamos feito. Buscar novos caminhos para aqueles talentos que até agora não tínhamos cultivado. Realizar projetos que até agora não tínhamos nos atrevido a tentar.

A velhice pode ser uma etapa maravilhosa se a recebermos com uma boa atitude. É verdade que devemos nos despedir de muitas das vantagens da juventude, mas isso também tem seu lado positivo. Somos mais livres e completos. Temos uma melhor perspectiva sobre tudo. Por isso podemos envelhecer felizes e nos sentir gratos pelas maravilhas que se encontram no acaso da vida.

Até a próxima!

Fonte: A Mente Maravilhosa

 

Anúncios

Terceira Idade

Essa é a fase da vida marcada pelo encerramento de diversos ciclos. Na família, por exemplo, você cumpriu muito bem seu papel de criar os filhos, que agora já devem estar até casados e ter lhe dado netos. Fora de casa, depois de anos dedicados ao trabalho, chegou a hora da aposentadoria.

Entretanto, o planejamento deve ser sempre mantido, ainda mais porque agora você quer manter o seu padrão de vida e, o que é melhor, ter a possibilidade de realizar ao máximo novos projetos. E reiniciar mais ciclos…

Capturar

Longevidade

Diferentemente do que muitos imaginam, a terceira idade não é sinônimo de inatividade e problemas de saúde. Muito ao contrário! Com os avanços da medicina, a longevidade é hoje um fato. E viver mais e melhor é possível, sim!

Comer bem, fazer exercícios e manter hábitos saudáveis é ideal para todos, independentemente da idade. Mas, no caso dos idosos, ter um hobby, participar de passeios e reuniões culturais e manter contato com pessoas de sua faixa etária são dicas extremamente importantes, pois ajudam a elevar a autoestima e fazer com que se sintam integrados à sociedade.

Nunca é tarde

Que tal aproveitar o tempo, que agora é mais tranquilo, para fazer aquele curso que sempre quis? Pode ser o idioma da família, a aula de dança, a faculdade… Muitas são as oportunidades para este público, cada vez mais ativo interessado e cheio de vontade de aprender… E ensinar.

E aquela viagem dos sonhos, que nunca teve tempo de realizar? Tempo não é mais problema e, caso tenha se planejado ao longo da vida, dinheiro também não será. Reserve uma parte da aposentadoria e faça as malas. Aproveite os descontos aos quais têm direito – muito justamente, por sinal – e pegue a estrada. Com certeza, encontrará pessoas na mesma situação para trocar experiências, histórias e dividir momentos inesquecíveis.

Confira outras dicas para aproveitar bem a Terceira Idade:

  • Trace metas de vida e planeje-se para alcançá-las e adaptá-las às suas condições.
  • Faça de sua experiência de vida um ensinamento e esteja disposto a aprender, sempre!
  • Mantenha sua autoestima em alta e acredite em você.

Capturar1

Até a próxima!

10 Dicas para um 2019 saudável !

casal-idosos16-800x420

Alterando pequenos detalhes no dia a dia, a qualidade de vida melhora muito. Não adianta tomar remédio para gastrite e viver estressado, por exemplo.

Ou querer controlar o colesterol e não se exercitar ou se alimentar corretamente.

Além disso, o sono é reflexo do cotidiano e seus distúrbios podem ser corrigidos sem medicamentos.

Abaixo Dr Daniel Benitti separou pra gente 10 dicas para ter um ano próspero.

Vamos conferir:

Beba água (o essencial!)

As pessoas sempre acham que bebem bastante água. Mas, na realidade, não tomam o suficiente.

Dois litros por dia pode melhorar a dor de cabeça e regular o intestino, por exemplo.

Mas verifique qual a quantidade que te atende!

Use escadas

Imagine quantos degraus durante o ano você poderá subir e descer?

O simples ato de subir um andar ou descer dois pelas escadas irá contribuir para a atividade física diária, fortalecer as pernas e beneficiar o meio ambiente ao economizar energia elétrica.

Ande 10 minutos por dia

Caminhar ajuda muito a saúde vascular, além de fortalecer as pernas e o coração. Para isso, não use o carro para curtas distâncias.

Ao final do ano… muitos kilômetros caminhados!

Vá para a cama meia hora antes

Descansar é fundamental para o bom funcionamento do corpo, o que significa dormir de 7 a 8 horas por noite. Não leve o celular, tablet ou computador para a cama, nem ligue a televisão.

Isso atrapalha a qualidade do sono.

Corte o refrigerante (aproveite o ano com coisas muito mais saudáveis)

Esse tipo de bebida, além de ter muito açúcar, também tem alto teor de sódio. Nada no refrigerante faz bem para sua saúde. Troque por água ou suco.

Mexa as pernas

Movimentar os membros inferiores por 10 segundos a cada hora ajuda bastante na circulação. O simples hábito de levantar para tomar um copo de água basta. Não fique muito tempo parado e sentado, pois isso pode dar trombose!

Pese-se semanalmente

Este simples hábito irá auxiliar no controle do peso. Ao ver pequenas mudanças você poderá ajustar a alimentação e não perceber que engordou apenas quando a calça não servir mais.

Coma um bom café da manhã

Essa é a principal refeição do dia, então valorize o café da manhã. Sua vó estava certa.

Consuma verduras e legumes

Coloque sempre uma porção de verdura e legumes nas refeições. Além de manter o equilíbrio intestinal, ajuda a controlar o peso e as triglicérides.

Substitua as comidas prontas

Embora sejam práticas e de fácil acesso, elas têm alto teor de sódio. Procure se alimentar com alimentos frescos e recém preparados.

Bem, acreditamos que estas dicas simples ao alcance de todos mudaram drasticamente para a melhor a qualidade de sua vida em 2019. Ano novo, vida nova? Que tal praticá-las de verdade?

Adaptar-se ao envelhecimento garante mais qualidade de vida na terceira idade

Idosos-1

Ter uma terceira idade feliz depende de vários fatores, mas principalmente da forma como o idoso se percebe nessa fase da vida e da sua capacidade de se adaptar as mudanças e transformações próprias do envelhecimento.

A capacidade de poder realizar as atividades cotidianas, desde as mais básicas como alimentar-se, tomar banho e andar, até as mais complexas como administrar as finanças e realizar atividades de lazer, são fundamentais para uma vida plena. Para isso o idoso precisa estar com suas plenas capacidades físicas, mentais e emocionais, a fim de poder cuidar da própria vida e dar sentido para a própria existência.

Para algumas pessoas há o medo da velhice, da solidão e o senso de sentir-se menos competente para realizar suas atividades cotidianas ou sua capacidade de tomar decisões e governar sua vida influencia na maneira como cada um enfrenta e vive o envelhecimento.

Idosos que não conseguem se adaptar a essas mudanças acabam se isolando socialmente diminuindo a interação com outras pessoas, o que pode levar a perda da satisfação com a própria vida, do prazer e da motivação, comprometendo suas capacidades físicas, intelectuais e emocionais.

Para os indivíduos que apresentam alguma doença crônica, como diabetes, colesterol alto, artrite reumatoide, hipertensão, adaptar-se ao processo de envelhecer juntamente com essas doenças pode ser mais trabalhoso, mas não impossível, além de ajudar a diminuir o impacto da doença na qualidade de vida e evitar maiores comprometimentos.

É necessário reavaliar as possibilidades, redefinir metas e alterar estratégias de enfrentamento do ambiente e dos próprios sentimentos para poder se adaptar as novas demandas dessa fase da vida e vive-la da melhor maneira possível, mesmo que acompanhada de doenças crônicas e limitações físicas.

Com o aumento geral da população idosa, torna-se importante garantir aos idosos não apenas maior longevidade, mas felicidade e satisfação com a vida. Pesquisas são realizadas no mundo todo com o objetivo descrever os fatores associados ao grau de satisfação com a vida entre a população de idosos.

Um estudo recente publicado, em janeiro de 2014, no Canadian Medical Association Journal pesquisou a relação entre o prazer com a vida e o declínio da função física em idades mais avançadas. Participaram 3199 homens e mulheres com idade acima de 60 anos.

Nesta pesquisa foi verificado que pessoas que tem mais satisfação com a vida, ou seja, que expressam sentimentos de felicidade e prazer vivem até 8 anos mais e em condições físicas melhores do que as pessoas que não estão satisfeitas com suas vidas.

Em 2012, um estudo realizado por pesquisadores da University College London (UCL), no Reino Unido, conclui que os idosos que gostam da vida tendem a viver mais e com uma condição física melhor do que os indivíduos infelizes. Os pesquisadores avaliaram até que ponto eles tinham dificuldade em realizar atividades diárias, como tomar banho ou se vestir, o estudo descobriu que as pessoas que tinham um baixo senso de bem-estar foram três vezes mais propensas a ter problemas em realizar atividades diárias.

O estudo mostra que pessoas em idades avançadas e que estão felizes e aproveitam a vida mostram declínios mais lentos na capacidade física. Ou seja, conseguir adaptar-se as mudanças ao longo do processo de envelhecimento e encontrar formas alternativas de aproveitar a vida e ficar feliz com o que realiza contribui para uma vida mais longa e saudável.

Fonte: Mariela Besse, terapeuta ocupacional do Instituto Longevità

Por uma terceira idade ativa

Cuidador-de-Idosos-6-1024x576

“Envelhecer bem” tornou-se assunto pessoal de teor médico-psicológico, cujo fundamento é a aceitação de um inexorável declínio. “Aprenda a envelhecer bem”, diz, por exemplo, o título da revista Psychologies, que traz ainda seis dicas de como chegar na terceira idade “em forma”:

1) Cuide do corpo (coma melhor, não fume, faça um pouco de exercício);

2) Mantenha a boa aparência (com ótimas tecnologias anti-idade, de massagem a medicina estética);

3) Leia diversos livros (a leitura ajuda a manter a mente em funcionamento além do prazer que as histórias proporcionam);

4) Atravesse a menopausa sem crises (entenda o que é e como contorná-la de forma prazerosa);

5) Reúna os amigos (“nunca é tarde para manter as verdadeiras amizades com com isso manter uma vida social saudável)

6) Inspire-se em pessoas mais velhas (mantenha uma rede de relações incentivadoras para os que estão chegando nessa fase, seu exemplo possa ser de grande inspiração para os outros)

Fonte: revista Psychologies

 

Terceira Idade cheia de estilo

Como dizia Coco Chanel “A moda passa, o estilo fica”.

A essência da terceira idade é a sabedoria de vida, a experiência e a vantagem de ter passado por várias tendências de moda e estilo.

Muitos já observaram que a moda vai e vêm, se repete, se renova são releituras sendo feitas em cima de referências que já foram produzidas há séculos.

Com certeza muitas de vocês tem ou já tiveram no armário peças que foram e saíram de moda. O legal é que algumas dessas peças nunca saem de moda. Usá-las de forma diferente é o segredo de ter um estilo exclusivo.

O estilo é uma forma de representar o que você é. Quando nos descobrimos interiormente conseguimos transparecer na roupa em que usamos nossa identidade.

Aqui vão algumas dicas de looks que podem ser encontrados em qualquer guarda-roupa e usados de uma forma criativa, elegante e despojada.

Inspirem-se!

Saia Reta: Uma peça elegante e versátil. Escolha as que tenham um ótimo caimento. Uma das exigências na escolha de roupas para Terceira Idade é o conforto. Nesta composição você pode colocar o acessório que tenha a ver com o seu gosto pessoal.

moda-1

O bom e velho vestidinho tubinho: Esta peça é super coringa. Toda senhora deve ter um no seu armário. Ele vai desde o clássico até o despojado. Coloque todo o seu charme e estilo. Escolha modelos que tenham em sua composição elastano eles trazem conforto.

Calças jeans e calças de alfaiataria.  As calças jeans são super versáteis e combinam com tudo. Escolha as que tenham na sua composição elastano e que fiquem confortáveis. Já as de alfaiataria, são clássicas e elegantes, com uma no armário você estará pronta para um evento que seja mais requintado.

Capturar

A partir dessas peças você pode criar e recriar novas composições agregando acessórios.

Escolha sempre peças que a valorizem e que a definem. Lembrem-se sempre que a terceira idade tem em suas mãos a chave da sabedoria. Sendo assim, saiba que estar na moda é uma questão de estilo.

Fonte: A Terceira Idade

Adaptar-se ao envelhecimento garante mais qualidade de vida na terceira idade

Envelhecer-com-qualidade-de-vida

Ter uma terceira idade feliz depende de vários fatores, mas principalmente da forma como o idoso se percebe nessa fase da vida e da sua capacidade de se adaptar as mudanças e transformações próprias do envelhecimento.

A capacidade de poder realizar as atividades cotidianas, desde as mais básicas como alimentar-se, tomar banho e andar, até as mais complexas como administrar as finanças e realizar atividades de lazer, são fundamentais para uma vida plena. Para isso o idoso precisa estar com suas plenas capacidades físicas, mentais e emocionais, a fim de poder cuidar da própria vida e dar sentido para a própria existência.

Para algumas pessoas há o medo da velhice, da solidão e o senso de sentir-se menos competente para realizar suas atividades cotidianas ou sua capacidade de tomar decisões e governar sua vida influencia na maneira como cada um enfrenta e vive o envelhecimento.

Idosos que não conseguem se adaptar a essas mudanças acabam se isolando socialmente diminuindo a interação com outras pessoas, o que pode levar a perda da satisfação com a própria vida, do prazer e da motivação, comprometendo suas capacidades físicas, intelectuais e emocionais.

A capacidade de poder realizar as atividades cotidianas, desde as mais básicas como alimentar-se, tomar banho e andar, até as mais complexas como administrar as finanças e realizar atividades de lazer, são fundamentais para uma vida plena. Para isso o idoso precisa estar com suas plenas capacidades físicas, mentais e emocionais, a fim de poder cuidar da própria vida e dar sentido para a própria existência.

Para algumas pessoas há o medo da velhice, da solidão e o senso de sentir-se menos competente para realizar suas atividades cotidianas ou sua capacidade de tomar decisões e governar sua vida influencia na maneira como cada um enfrenta e vive o envelhecimento.

Idosos que não conseguem se adaptar a essas mudanças acabam se isolando socialmente diminuindo a interação com outras pessoas, o que pode levar a perda da satisfação com a própria vida, do prazer e da motivação, comprometendo suas capacidades físicas, intelectuais e emocionais.

É necessário reavaliar as possibilidades, redefinir metas e alterar estratégias de enfrentamento do ambiente e dos próprios sentimentos para poder se adaptar as novas demandas dessa fase da vida e vive-la da melhor maneira possível, mesmo que acompanhada de doenças crônicas e limitações físicas.

Com o aumento geral da população idosa, torna-se importante garantir aos idosos não apenas maior longevidade, mas felicidade e satisfação com a vida. Pesquisas são realizadas no mundo todo com o objetivo descrever os fatores associados ao grau de satisfação com a vida entre a população de idosos.

Um estudo recente publicado, em janeiro de 2014, no Canadian Medical Association Journal pesquisou a relação entre o prazer com a vida e o declínio da função física em idades mais avançadas. Participaram 3199 homens e mulheres com idade acima de 60 anos.

Nesta pesquisa foi verificado que pessoas que tem mais satisfação com a vida, ou seja, que expressam sentimentos de felicidade e prazer vivem até 8 anos mais e em condições físicas melhores do que as pessoas que não estão satisfeitas com suas vidas.

Em 2012, um estudo realizado por pesquisadores da University College London (UCL), no Reino Unido, conclui que os idosos que gostam da vida tendem a viver mais e com uma condição física melhor do que os indivíduos infelizes. Os pesquisadores avaliaram até que ponto eles tinham dificuldade em realizar atividades diárias, como tomar banho ou se vestir, o estudo descobriu que as pessoas que tinham um baixo senso de bem-estar foram três vezes mais propensas a ter problemas em realizar atividades diárias.

Fonte: Minha Vida